Pronunciamentos

08/07/2015 - Sobre condições dos centros educacionais no Ceará

Apresentamos, em nosso pronunciamento, nesta quarta-feira (08), relatório da Defensoria Pública do Ceará sobre a situação de três centros de recuperação de jovens em conflito com a lei em Fortaleza. De acordo com os dados apresentados no documento, há superlotação e a falta de condições mínimas para acomodar os internos. Os dormitórios são quentes, não há ventiladores, e  apenas camas de alvenaria, denominadas pedras. Há muita umidade e a limpeza é precária e insuficiente, de responsabilidade dos próprios internos. Todos bebem água diretamente na boca da garrafa pet. É apenas uma garrafa por dormitório de 20 pessoas, para uso coletivo. Não há como se promover a ressoacialização desses jovens assim. Quem passa três anos nestes centros, volta para sociedade muito pior. O Estado foi omisso e agora se faz presente na degeneração dessas crianças.

Mais pronunciamentos

27/09/2017
22/09/2017
20/09/2017
13/09/2017
veja mais