Notícias

10/02/2017 - Heitor Férrer denuncia ameaça de fechamento do centro cirúrgico do HGWA

O deputado estadual Heitor Férrer (PSB) ocupou a tribuna no plenário da Assembleia Legislativa, ontem, para expor denúncia recebida de profissionais médicos e do Sindicato dos Médicos do Estado do Ceará sobre a possibilidade de fechamento do centro cirúrgico do Hospital Geral Waldemar de Alcântara (HGWA). “Eu considero uma insanidade administrativa e nós temos a obrigação de nos recusar a acreditar que um hospital, que tenha a resolutividade que o Hospital Waldermar de Alcântara tem, possa sofrer tamanho trauma”, afirmou.

De acordo com o parlamentar, são atendidos 13 mil pacientes por ano na unidade hospitalar, que tem uma fila de espera para cirurgias de 300 pessoas. “É uma decretação de pena de morte a milhares de cearenses que buscam esse hospital. Essas pessoas serão abandonadas a sua própria sorte, mesmo que sejam encaminhadas para outros hospitais. Governador, não vamos contemporizar e não vamos permitir o fechamento do centro cirúrgico de um hospital de referência, que tem a resolutividade do Waldemar de Alcântara, para diminuir um investimento, como se fosse um gasto, em detrimento da saúde do povo do Ceará”, enfatizou.

Férrer destacou ainda que, atualmente, somente no Hospital Geral e no César Cals, são 11 mil pessoas esperando por uma cirurgia, e pediu que a liderança do governo na Assembleia traga informações o quanto antes a respeito do assunto.

Violência
Ainda ontem, o deputado lamentou o aumento do número de crimes violentos letais no Ceará durante o mês de janeiro. Segundo os dados da Secretaria da Segurança Pública do Estado, foram registradas 349 mortes violentas no último mês, enquanto que, no mesmo período de 2016, o número foi de 323 ocorrências, representando um aumento de 8% dos casos.

Segundo o parlamentar, o Estado não desenvolve políticas públicas lógicas que evidenciem a quebra dos mecanismos geradores da violência no Ceará. “A redução da violência não se consolidará se não tivermos políticas públicas que quebrem os mecanismos geradores dessa violência. Se isso acontecer, a violência diminuída pontualmente é apenas uma ilusão”, disse.

Heitor voltou a defender que somente polícia não resolve e o estado do Ceará dá exemplo disso quando o ex-governador Cid Gomes entregou o governo com 4.439 homicídios por ano, mesmo aumentando em 5 mil o número de policiais. “Esse número nos entristece muito e, embora essa violência tenha diminuído nos meses anteriores, continuamos com a mesma sensação de insegurança. A violência é tão gritante e alarmante que não sentimos a diminuição”, concluiu.

Fonte: O Estado

Mais notícias

25/09/2017
22/09/2017
20/09/2017
13/09/2017
veja mais