Notícias

28/03/2016 - Deputados buscam apoio de lideranças para eleições


Deputados estaduais do Ceará que são pré-candidatos a prefeito em alguns municípios se articulam junto a seus correligionários para formar aliança partidária com possibilidade de vitória. Alguns, que dividem as atividades parlamentares com ida a suas bases eleitorais, aguardam apoio de lideranças locais para se saírem vitoriosos durante as eleições de outubro próximo.

Wagner Sousa, que deve disputar eleições em Fortaleza pelo Partido da República (PR), afirmou que a sigla está procurando parceria para o embate eleitoral, principalmente com o PSDB. Na segunda-feira passada, ele se reuniu com o senador Tasso Jereissati, tentando convencer o partido a apoiá-lo. Conversas também estão sendo feitas com presidentes das executivas estadual e municipal do partido, Luís Pontes e Fernando Façanha.

Sousa reconheceu que não tem experiência administrativa para tocar a Prefeitura de Fortaleza, mas destacou que, com o apoio de técnicos, incluindo alguns ligados ao PSDB, poderá fazer boa gestão se vencer as eleições. Ele defendeu união das forças opositoras ao governo do prefeito Roberto Cláudio, mas admite que isso dificilmente poderá ocorrer no primeiro turno.

Isso porque o deputado Heitor Férrer (PSB) e Renato Roseno (PSOL), que fazem oposição à atual gestão de Fortaleza, também se colocaram como pré-candidatos na Capital. Tin Gomes (PHS) é outro que pretende disputar em Fortaleza. "Acho difícil isso acontecer no primeiro turno, mas quem for para o segundo turno deve receber apoio dos outros partidos de oposição".

Recentemente, o deputado Júlio César Filho (PDT) deixou o PMB para ingressar na sigla pedetista, pois seu interesse maior neste ano é a disputa em Maracanaú. O partido, por enquanto, tem dois pré-candidatos no município da Região Metropolitana de Fortaleza, e aquele que estiver em melhores condições de ter êxito nas eleições será o cabeça de chapa. Durante filiação do parlamentar, o ex-governador Cid Gomes afirmou que iria acompanhar e ajudar o correligionário na disputa eleitoral.

Acirradas

Segundo Júlio César Filho, por ser de um partido da base aliada, é natural que o governador Camilo Santana faça campanha em prol de sua candidatura, bem como Ciro Gomes e Cid Gomes. Lá, o partido está construindo um arco de aliança com PHS, PV, PP, PRTB, PSC, PMN e PEN. Maracanaú, assim como Sobral e Fortaleza, terão disputas bem emblemáticas para o grupo político comandado por Cid e Ciro, uma vez que são municípios em que as disputas são bastante acirradas e podem influenciar no pleito de 2018, quando o PDT pretende ter candidatura à Presidência da República.

Dois deputados têm seus nomes colocados, no mesmo lado, para a disputa em Maranguape. O deputado George Valentim (PCdoB), ex-prefeito do Município, e seu padrasto, o deputado Lucilvio Girão (PP), estão unidos em prol de uma candidatura contra a atual gestão. Segundo Valentim, há um entendimento entre vários partidos de disputar a vaga de prefeito e, além dos nomes dos parlamentares citados, outros estão colocados, como do ex-prefeito e presidente do PV do Ceará, Marcelo Silva.

O PCdoB já decidiu que intensificará os trabalhos por uma candidatura própria em 35 municípios, dentre eles Maranguape. Segundo Lucilvio Girão, está sendo estudado o nome da oposição para a disputa, o que deve ser decidido nos próximos 60 dias. "O nosso nome está, mas ainda vamos sentar para decidir", explicou. Candidatura que, aparentemente, parece mais encaminhada é a do deputado Tomaz Holanda (PMDB), que garante já ter o apoio de PSB, PPS, PTC, PSDC, PMN e PTdoB.

"Temos aliança forte com a oposição e com lideranças que faziam parte da atual gestão, mas que passaram para nosso lado", afirmou.

PP, PT, PCdoB, PDT, PEN e PV estão trabalhando juntos por candidatura no Crato, e o nome do deputado Zé Ailton Brasil (PP) foi colocado para a disputa. Segundo ele, os partidos têm se reunido mensalmente para que a base que apoiou o governador Camilo Santana esteja unida. "Formamos a Frente Popular do Crato, e esses partidos estão trabalhando programas de governo. Vamos discutir um nome que possa ter mais aceitação e depois vamos levá-lo para análise do governador Camilo e da população", informou.

Fonte: Diário do Nordeste 

Mais notícias

14/11/2017
07/11/2017
21/11/2017
14/11/2017
veja mais