Notícias

06/03/2016 - PSDB pode abrir mão de candidatura para apoiar aliados

Em eventual frente eleitoral contrária à atual gestão, o PSDB sinaliza, nos bastidores, possibilidade de abrir mão de candidatura própria à Prefeitura de Fortaleza e apoiar ou deputado Capitão Wagner (PR) ou deputado Heitor Férrer (PSB), até mesmo o peemedebista Vitor Valim. As informações são do deputado federal Raimundo Gomes Matos (PSDB).

Recentemente, o senador Tasso Jereissati conversou com os dois partidos (PR e PSB) a fim ouvir as propostas e analisar a conjuntura política atual.
O PSDB também conversará com um dos nomes citados como possível candidato do PMDB, deputado federal Vitor Valim. “Nós vamos analisar com esses pré-candidatos a possibilidade de fazermos uma composição, mas, até agora, sem qualquer definição”, disse, sem dar detalhes sobre a possível desistência dos tucanos. Gomes de Matos, por sua vez, defendeu uma união das siglas de oposição já no primeiro turno do pleito.

Vice
Conforme o tucano, tanto Heitor Férrer quanto Capitão Wagner ofereceram, no caso de aliança, o cargo de vice ao PSDB, mas, ainda é preciso conversar com Vitor Valim, segundo revela Matos. A “oferta” ainda vai ser analisada. Ele disse, ainda, que o ninho tucano,no momento, não está preocupado com a questão da vice e, sim, com as propostas que os postulantes vão oferecer a Fortaleza. De acordo com o parlamentar, a preocupação maior do ninho tucano é com o futuro da capital cearense que, segundo ele, no momento, está deficiente em algumas áreas, como saúde, educação e limpeza urbana.

“Nada novo”
O deputado estadual Carlos Matos (PSDB) não admitiu, mas também não descartou a possibilidade de desistência da candidatura tucana na disputa pelo Palácio do Bispo. Todavia, afirmou não haver “nenhum fato novo” acerca das articulações. “Estamos amadurecendo as perspectivas, observando os pontos positivos e negativos para que no decorrer de março,possamos tomar uma decisão”, frisou, acrescentando que o partido não está interessado em ser ou não cabeça de chapa ou cargos futuros.
“O fato é a proposta para Fortaleza com viabilidade e que possa ter aderência dos demais aliados. Essa aliança precisa observar três perspectivas: aliança históricas nas últimas eleições, projeto nacional que não pode ser desprezado, pois temos três possíveis candidatos [à Presidência da República] e a responsabilidade é grande, e analisar o perfil dos candidatos que querem fazer aliança conosco”, finalizou.
No atual cenário, o PSDB, que ganhou força com a vitória de Tasso Jereissati para o Senado, figura como um aliado que poderia encabeçar a chapa.

Pesquisas
Além das conversas com os possíveis pré-candidatos, os tucanos aguardam ter acesso a pesquisas qualitativas e quantitativas que vão nortear a decisão sobre a candidatura própria ou aliança com outras siglas, afirmou recentemente Gomes de Matos ao jornal O Estado. A ideia, segundo ele, é avaliar o pensamento da população fortalezense.

Fonte: O Estado

Mais notícias

25/09/2017
22/09/2017
20/09/2017
13/09/2017
veja mais