Notícias

02/01/2016 - Eleição em Fortaleza já mobiliza a classe política

O ano de 2016 será atípico no que se refere a Política partidária em todo o País. Além de crise político econômica por que passa o País, entramos em ano eleitoral, onde a sucessão municipal estará em jogo. E a perspectiva que, especialmente em Fortaleza, essa disputa seja visceral. As pré-candidaturas, apesar de oficiosas, já estão na boca do povo. Pelo menos quatro candidatos competitivos já estão nos bastidores em busca de apoios e em articulações que garantam a viabilidade de suas candidaturas.

O prefeito Roberto Cláudio, do PDT, promete um ano de realizações. De olho na reeleição, ele tenta conter os desagrados comuns de administrar uma das cidades mais complexas do país, onde mais da metade da população vive abaixo da linha de pobreza, além dos descontentamentos de aliados. A crise econômica que o país passa poderá ser um empecilho para seus planos, mas ele tenta usar da criatividade, do uso de PPPs para engatar obras e ações que deem visibilidade a sua gestão.

Outro desafio de RC será pacificar o aliado PT, do governador Camilo Santana. A militância da Capital, liderada pela ex-prefeita Luizianne Lins promete ir ao embate para que o partido tenha candidatura própria.

Entre os opositores, Heitor Férrer vem com seu PSB buscando surfar na herança eleitoral do pleito passado quando ficou em terceiro lugar na disputa. Heitor tenta viabilizar um arco de aliança que lhe dê mais tempo de TV e Rádio, para respirar na disputa.

O Capitão Wagner, vem com o PR e tenta atrair o Solidariedade, PPS, DEM e PSDB para seu arco de alianças. O PMDB de Eunício Oliveira garante que também terá candidato. O nome ainda está em estudo, o do deputado Vitor Valim seria um dos avaliados, mas recentemente o partido abriu para novos aliados, entre eles os irmãos Novais, Sérgio e a ex-deputada Eliane.

Entre as pequenas agremiações, O PSol avalia a candidatura do deputado estadual Renato Roseno (PSoL), o PRB poderá ter Ronaldo Martins (PRB) e o PHS, Tin Gomes. Mas tudo ainda não passa de especulação. O certo é que a eleição deste ano, na Capital, poderá ser uma das mais disputadas dos últimos anos.

Fonte: Ceará Agora

Mais notícias

14/11/2017
07/11/2017
21/11/2017
14/11/2017
veja mais