Notícias

07/09/2015 - Partidos na reta final para conquistar adesões

Com a proximidade do período de preparação para as eleições, em que partidos buscam nomes para a disputa do próximo ano, os presidentes de partidos têm ido à Assembleia Legislativa de forma mais frequente à procura de parcerias para o próximo pleito. Neste ano, muitos dirigentes estiveram na Casa tentando convencer os deputados a aderirem aos seus projetos políticos.


O presidente do PSDB cearense, Luiz Pontes, já compareceu à Assembleia para convidar o deputado Tomaz Holanda (PPS) para ingressar na sigla tucana com foco nas eleições de Quixeramobim. O tucano também se comprometeu a apoiar o nome de Carlomano Marques (PMDB) em Pacatuba. Genecias Noronha, presidente do Solidariedade Ceará, esteve na Casa conversando com Heitor Férrer (PDT) na tentativa de convencê­lo a disputar as eleições pela sigla. 

Toinho do Chapéu, do PTN, é outro que tem comparecido assiduamente ao Legislativo Estadual em busca de apoio para fortalecer sua legenda, assim como Samuel Braga, do PEN, e Roberto Lima, do PTC Fortaleza. Dirigentes do PPS, PSB e PRB têm sido vistos na Assembleia dialogando com os parlamentares. 

Como se aproxima o limite para mudanças partidárias e filiações, que devem ser feitas até o início de outubro, a presença de muitos presidentes na Assembleia visa adiantar o debate eleitoral nos municípios. 

O presidente do PSDC, deputado Ely Aguiar, não vê de forma positiva esse assédio. Segundo ele, no período que antecede as eleições municipais, os partidos são procurados por todo tipo de liderança do Interior em busca de uma legenda. Para ele, isso demonstra que as siglas servem apenas para atender a interesses emergenciais. “Ele (dirigente) fica estudando qual o partido não tem em seu município e procuram os presidentes para criar o partido naquela localidade, sem qualquer compromisso”, diz. 

Conforme o parlamentar, nesse período é comum a presença de vereadores que querem mudar de legenda. “Preferimos a qualidade do que a quantidade. Eles procuram os partidos e depois fazem acordo com os prefeitos e farão o que o prefeito manda, sem seguir as orientações do partido”, argumentou. 

Bases eleitorais 
O deputado Odilon Aguiar (PROS) afirmou que esse processo é normal com a aproximação das eleições. “Essa organização toda precisa ser feita, principalmente nas bases eleitorais”, diz.  

Presidente do PHS Ceará, Tin Gomes afirmou que tem sido muito procurado por algumas legendas e disse que o partido está se readequando para as próximas eleições, com adesão de novos filiados e saída de outros. No dia 26 de setembro, a executiva nacional do partido vai enviar dirigentes à Assembleia para tratar de assuntos referentes ao processo eleitoral de 2016.

Júlio César Filho (PTN) afirmou que as discussões nas bases eleitorais estão se acirrando e, por isso, os presidentes têm procurado o apoio de deputados estaduais, que têm maior capilaridade e liderança em alguns municípios. Segundo ele, isso tem se refletido até nos pronunciamentos dos parlamentares. 

Fonte: Diário do Nordeste 

Mais notícias

14/11/2017
07/11/2017
21/11/2017
14/11/2017
veja mais