Na Mídia

03/11/2017 - Segurança será foco em 2018, dizem deputados

2017
1
Na Assembleia, deputados da base destacam os bons índices conquistados pelo Estado na Educação, mas opositores contestam o desempenho ( Foto: José Leomar )

Apontada por parlamentares como principal gargalo da gestão Camilo Santana (PT), a Segurança Pública deve dar o tom das eleições para o Governo do Estado, no próximo ano, segundo avaliam deputados da Assembleia Legislativa. Para alguns, apesar dos investimentos feitos, o Governo não apresenta resultados positivos no combate à violência no Ceará, e isso deve ser o foco dos debates políticos durante o pleito eleitoral de 2018. 

A Saúde, segundo eles, também será tema crucial nos embates que serão travados nas eleições do próximo ano, assim como a crise hídrica, visto que a oposição critica algumas das ações implementadas pelo Governo. A Educação, apesar de ter tido bons índices nos últimos anos, também deve ser colocada na pauta de discussões dos candidatos ao Governo do Estado.

“Segurança, Saúde e Seca. Esses três temas vão dominar o debate político nas eleições vindouras. Na Educação, estamos muito bem, assim como na área de desenvolvimento do Estado”, disse o deputado Sérgio Aguiar (PDT). De acordo com ele, Saúde é uma área que requer evolução, principalmente nas atenções secundária e terciária.

No que diz respeito à Seca, o parlamentar ressaltou que o Estado não conseguiu manter as recargas dos reservatórios existentes, o que comprometeu “sensivelmente” a possibilidade de oferecer atenção à toda a área. “Quero imaginar e torcer que a gente tenha água e será um dos assuntos que serão usados negativamente e positivamente”.

No entanto, Sérgio Aguiar destacou que o problema da Segurança Pública será, inevitavelmente, colocado no “cardápio” das discussões eleitorais, em virtude do grande número de assassinatos que, mesmo com a mobilização da gestão, não tem apresentado a redução esperada. “O cobertor é curto”, disse.

Emprego

Elmano de Freitas (PT), por sua vez, afirmou que, no plano local, primeiro deve-se aguardar se haverá uma quadra chuvosa intensa, que consiga dar recarga hídrica ao Estado. Para ele, contudo, a questão da Seca terá impacto no processo eleitoral. “Há um apelo muito grande da Segurança Pública também, por conta dos índices preocupantes. Não conseguimos manter a redução da violência, e vamos ter que rever isso”, reconheceu. 

Além desses temas, o petista ressaltou que Educação e Saúde continuarão sendo pautas relevantes na campanha, assim como geração de emprego e crescimento econômico, uma vez que, segundo ele, ainda não foram feitas pesquisas sobre o tema nos municípios do Interior, que podem estar com índices piores do que os da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Walter Cavalcante (PP) avaliou que a questão da violência será um ponto fundamental entre os candidatos ao pleito governamental no Ceará. Segundo ele, é preciso que os postulantes apresentem propostas que venham firmar compromisso com a constituição de um programa nacional de Segurança Pública. “Para mim, essa é uma das coisas mais importantes. A questão da Saúde também está entrelaçada com o tema da Segurança”.

Para Heitor Férrer (PSB), a Segurança Pública continua no mesmo quadro deixado pelo ex-governador Cid Gomes, que, segundo ele, não resolveu a problemática da violência com a criação do Programa Ronda do Quarteirão, “pois não quebrou com os mecanismos da violência”. A Saúde será outro tema abordado pelos candidatos, segundo o pessebista, pois, em sua opinião, as pessoas não estão tendo acesso a serviços essenciais. 

No que diz respeito aos recursos hídricos, Férrer destacou que o Estado vive “um verdadeiro colapso”, já que os principais reservatórios estão com 4% da capacidade total de armazenamento. “Saúde, violência e recursos hídricos serão os temas para o pleito que se aproxima e, obviamente, o problema da Operação Lava-Jato, que vai atingir o Ceará no próximo ano”, projetou.

Perdas salariais

O deputado Carlos Matos (PSDB) disse que Segurança Pública será o principal assunto na campanha de 2018, mas ponderou que outras questões também poderão ser abordadas, como o desemprego e os números da pobreza, que classificou como ainda “alarmantes” no Estado. O tucano ressaltou, ainda, que poderão haver debates pontuais sobre Educação, visto que, em sua avaliação, os melhores índices educacionais no Ceará estão localizados em escolas geridas pelos municípios, e não pelo Governo Estadual.

Moisés Braz (PT) é outro que acredita que Seca e Segurança darão o tom dos pronunciamentos dos candidatos ao pleito Estadual. Segundo ele, “por mais que o governador tenha feito algo, ainda temos muitos problemas na Segurança, principalmente no que diz respeito à infraestrutura e inteligência”. Além da Segurança, Manoel Santana (PT) acredita que Saúde e perdas salariais também deveriam entrar no debate político do próximo ano, além de demandas regionais que também vão repercutir eleitoralmente. 

Fonte: Diário do Nordeste

Mais na mídia

12/12/2017
12/12/2017
12/11/2017
12/11/2017
veja mais