Na Mídia

22/06/2017 - HEITOR FÉRRER DEFENDE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA EVITAR VIOLÊNCIA

O deputado Heitor Férrer (PSB) cobrou, nesta quinta-feira (22), na Assembleia Legislativa, políticas públicas que possam quebrar fatores que geram a violência no Brasil, sobretudo no Ceará. Segundo ele, o Estado alcançou índices de violência alarmantes, nos últimos anos, ocupando a segunda posição no ranking de estados mais violentos no País. “Existe uma banalização da violência, que chegou a níveis estratosféricos”, afirmou.

De acordo com o parlamentar, dados apontam 52 homicídios para cada 100 mil habitantes, nível elevado quando comparado a países europeus, onde a relação é de duas pessoas. "Em Fortaleza, o número sobre para 81 pessoas para cada 100 mil. Uma taxa estratosférica”, avaliou, destacando a insuficiência de efetivo policial.

Heitor Férrer criticou ainda o montante que o Estado gasta com presos e que sequer são ressocializados. De acordo com o deputado, hoje são retirados do Tesouro do Estado do Ceará cerca de R$ 30 milhões mensais, com a finalidade de custear os presos. “O povo pagaria até R$ 60 milhões se recuperassem os presos, que saem pior do que quando entraram. O sistema socioeducativo de recuperação são masmorras que não recuperam ninguém”, acrescentou.

Na avaliação dele, para resolver a problemática é preciso de políticas públicas que quebrem mecanismos geradores de violência, citando a habitação, geração de emprego, saneamento básico, escolas em tempo integral e ressocialização dos detentos.

Defesa

O líder do Governo, deputado Evandro Leitão (PDT), afirmou que o Estado nunca fez tanto pela segurança, como atualmente. Ele reconhece o aumento da violência, mas, observa, é fruto de brigas por espaços das facções criminosas.

Segundo o líder, nos últimos dois anos foram contratados mais de três mil policiais e entregues 300 viaturas novas. “Segurança pública não é apenas tratar de combater a questão policial, mas também um trabalho de prevenção e o Governo tem criado unidades escolares e profissionalizantes, isso que mudará uma geração e o anseio de uma sociedade”, apontou.

Fonte: Brasil247

Mais na mídia

24/09/2017
25/09/2017
26/09/2017
25/09/2017
veja mais