Análises

11/09/2015 - Fernando Maia: Ciro ??cantou a pedra?

Em março de 2013, por ocasião da Convenção de Lojistas de Shopping, num dos hotéis da Beira Mar, em Fortaleza, um dos palestrantes foi Ciro Ferreira Gomes. Em seu incluía-se ter sido ministro da Fazenda do presidente Itamar Franco, onde foi colocado para “arrumar a casa” da economia nacional, “desarrumada” no governo de Fernando Collor. No seu melhor estilo, ele advertiu que em sua exposição iria causar “muito mal-estar, e se expor a muitas críticas”. Naquela época, o País vivia em “lua de mel” com um momento de aparentes “vacas gordas”. A sociedade, incentivada pelo Governo, consumia sem freios.  O Governo promovia uma gastança inédita na História do País, incluindo o Império e a República. E Ciro profetizou: “Todos que aqui se encontram estejam alertas: subjacente a essa situação festiva de otimismo e bonança, está oculta devastadora crise que não demorará a vir à tona”. E Ciro, para melhor abrir os olhos dos convencionais, advertia no sentido de que “bondades” como a isenção do IPI, a “libertinagem” na abertura de crédito, e a escamoteação dos preços dos combustíveis, da energia, do gás de cozinha e de outros itens, eram passageiras, e que, vinha aí uma “ressaca” devastadora, em forma de “tsunami”. Na ocasião, muitos atribuíram a crueza das advertências de Ciro, ao seu temperamento explosivo. Mas ele era apoiador da presidente Dilma e, com isso, estava mais à vontade para criticar o seu governo. Hoje, todas as projeções de Ciro estão sobejamente confirmadas. Não as escutou quem não quis.
 

Prestigiado Hoje, às 10 horas, no Auditório Murilo Aguiar, da AL, ocorre a filiação do deputado Danilo Forte ao PSB. O ato será prestigiado por socialistas de destaque nacional: como o prefeito do Recife-PE, Paulo Câmara, e o vice-governador de São Paulo, Márcio França.
 

Já o deputado...

...Heitor Férrer continua adiando a sua filiação ao PSB até a data-limite. Há quem creia que ele ainda não perdeu a esperança de que os Ferreira Gomes desistam do PDT.

 A propósito...

...do ingresso do ex-governador Cid Ferreira Gomes e seu grupo no PDT, Heitor adverte: quem já mudou de partido tantas vezes, nunca o fez por motivação ideológica.   

Financiamentos

Ontem, o governador Camilo concedeu no Palácio Abolição, entrevista à “Carta Capital”. Nela, cobra investimentos federais urgentes em setores cruciais como a Saúde.

 Malvadeza

Os prefeitos brasileiros, quase todos ameaçados pela inadimplência, ou a falência, recebem mais um duro golpe: o FPM de setembro será 38,7% menor que o esperado.

 Calamitosa

Para o empresário Beto Studart, presidente da

Fiec, a fuga de US$ 70 bilhões, em virtude da queda da atração de investimentos, será mais um duro abalo na economia nacional.

 Conhecendo

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro-COI, Carlos Nuzman, em companhia do governador Camilo, visita o Centro de Formação Olímpica e o Centro de Eventos.

 Respiram...

...aliviados, políticos dispostos a trocar de partido, já que a Câmara Federal aprovou a “janela” de 30 dias antes da data-limite, para desfiliações sem perder o mandato. 

Outra história

Não foi a presidente Dilma quem fez o ministro Levy, permanecer na Fazenda. O responsável pelo “dia do Fico” foi o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco.

 Ascendente

Nesse contexto de “troca-troca” de partidos, o deputado Odorico Monteiro é um político que muda para melhor. De simples “soldado” do PT, passará a presidente do Pros. 

Da terra

Alegando que Caucaia exige um candidato “da terra”, o ex-prefeito Zé Gerardo (PMDB) diz-se pré-candidato, contra os “forasteiros” Lia Gomes (Pros) e Danilo Forte (PSB).
 

“O poder público se move de maneira paquidérmica. É ineficiente. A iniciativa privada tem melhores condições de agir rapidamente”. Sérgio Moro, juiz federal, sobre as saídas para a crise nacional.

Fonte: O Estado

Mais análises

14/06/2016
10/05/2016
09/05/2016
21/12/2015
veja mais