Análises

28/08/2015 - Solange Palhano: A lentidão de Dilma

Depois de um ano e meio de advertência dos economistas, que o nosso País não vinha bem, Dilma assume agora que existe mesmo uma crise, afirmativa que causou estranheza a todos, pois nossa Presidente é economista, e era considerada uma pessoa inteligente. Rousseff disse: “Temos sido lentos para perceber que a situação econômica era terrível. Então, talvez, teríamos de agir antes”. Anteriormente, o que Governo dizia é que a crise estava na Europa, Estados Unidos, e que aqui tudo caminhava as mil maravilhas. O desemprego aumentou, o poder de compra do brasileiro diminuiu, as vendas estão péssimas em todos os setores, a construção civil agoniza, porque muitos investiram no Programa Minha Casa, Minha Vida, e o Governo não repassa as verbas há alguns meses, deixando fornecedores  e trabalhadores atrasados. Nunca, na história do Brasil, vimos embaixadores sofrerem vexames porque cortaram a luz, ou água da embaixada por falta de pagamento. No Exército já existe generais com nomes sujos no SPC, porque são gestores dos contratos. Até a Casa da moeda não tem dinheiro para fabricar a nota de cinco e dois reais.

Agora, o Governo resolve, tardiamente, enxugar a máquina, acabar com os desnecessários 10 ministérios e secretárias como: da Micro Empresa, Igualdade Social, Pesca, da Mulher, Direito Humanos... De 39 ficaram 29. Estamos descrentes desta medida porque o próprio líder do governo, José Guimarães, não garante que haverá economia. Segundo ele, reduzir pastas não “traz garantia de economia aos cofres públicos, bem como não reflete sobre quais áreas deveriam ser afetadas com a suposta redução”. Quanto a extinção de 1.000 cargos públicos tudo leva a crer que, neste mandatom eles não foram ocupados. Então, o enxugamento da máquina não passa de balela, estratégia do Governo adotada para diminuir a rejeição de Dilma.
 

Dia Nacional do

Combate ao Fumo

O tabagismo ainda continua sendo a principal causa de mortes evitáveis e um dos maiores problemas de saúde pública que os brasileiros enfrentam mesmo que, nos últimos nove anos, o número de fumantes no Brasil caiu 30,7%, segundo a pesquisa do Ministério da Saúde. Dia 29 de agosto é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Fumo.

Decisão de Heitor

Convites não faltaram. Continua o suspense para onde Heitor irá, PPS, PSB e PSC. Alexandre Pereira afirma que não há nenhum impedimento para a ida do deputado para o PPS, e as lideranças do PSB já consideram certa a filiação do deputado ao partido.
 

Supremo nega

anulação de delação

O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou por unanimidade, nesta quinta-feira, pedido para anular o acordo de colaboração do doleiro Alberto Youssef na Operação Lava Jato, e as provas colhidas a partir de suas declarações. A solicitação foi  apresentada pelo diretor, Erton Medeiros Fonseca, afastado da Galvão Engenharia e investigado no escândalo de corrupção da Petrobras. Ministros entendem, que as denúncias feitas na delação são insuficientes para condenar uma  pessoa. Por isto o acordo não poderia ser contestado.
 

Candidatura de Danilo Forte

O deputado federal  Danilo Forte continua com a pretensão de candidatar-se a prefeito de Caucaia. Mas como ainda faltam um ano e dois meses  para as eleições municipais tudo pode acontecer, como se candidatar à prefeitura de Fortaleza, se o seu partido PMDB o apoiar.
 

Saúde na Praça do Ferreira

A Pró-Reitoria de Extensão da UFC, em parceria com o Conselho Regional de Farmácia do Estado do Ceará (CRF-CE), realiza neste sábado, a partir das 8h, na Praça do Ferreira, mais uma edição da “Ação Farma”. A atividade contará com aferição de pressão, glicemia, vacinação e orientações farmacêuticas, de forma gratuita para a população, integra a 6ª etapa do Programa de Educação Continuada para Farmacêuticos de Farmácias Públicas.

Aumento da energia

Mais um aumento de energia. Os consumidores mais uma vez vão cobrir o novo rombo  do sistema elétrico, terão um aumento de 10%  em suas contas. A decisão foi anunciada pela Anatel  esta semana.  O rombo é consequência de uma decisão judicial  que permitiu a um grupo de cerca de 50  grandes empresas não pagarem partes dos custos que bancam os subsídios elétricos. Isto é um absurdo, uma minoria sendo favorecida e prejudicando milhares de brasileiros.

Fonte: O Estado

Mais análises

14/06/2016
10/05/2016
09/05/2016
21/12/2015
veja mais