Análises

27/06/2014 - Editorial do jornal O POVO: "A lei da crise de valores"

Repercutiu em Fortaleza a decisão da Câmara Municipal que criou lei destinando os assentos dos transportes coletivos “preferencialmente” para mulheres, idosos, obesos e pessoas com deficiência. Na justificativa da proposta, as mulheres foram incluídas na lista com o objetivo de estabelecer uma proteção contra o assédio sexual.


Segundo a justificativa, a lei possui “caráter educativo”, proporcionando “cultura de respeito e cortesia para com as mulheres e os demais passageiros”. O projeto aprovado não determina que tipo de sanção será aplicada no caso de desrespeito à norma.


No que pese as boas intenções do legislador, a lei, que será sancionada ou vetada pelo prefeito, não tem efeitos práticos e dependerá exclusivamente da boa ou da má educação dos cidadãos usuários de transporte.


Hoje, parte dos ônibus já está preparada para cadeirantes, com elevadores e espaços especiais. Para obesos, os ônibus oferecem uma cadeira específica, de cor amarela. Para idosos e mulheres, o grau de civilidade e o bom senso dos mais jovens e saudáveis serão determinantes. Já o assédio sexual é crime previsto em lei.


O ponto central é o seguinte: que tipo de sociedade é a nossa que precisa de uma lei para tentar impor às pessoas atitudes que estão no âmbito do livre arbítrio, da vontade e, portanto, da moral e da formação cidadã?


Para um homem ou uma mulher, ceder a cadeira aos idosos é uma imposição moral. Idem ajudar uma pessoa com dificuldade de locomoção. Um homem abrir mão de seu lugar a favor de uma mulher é um ato de cortesia. Cortesia não precisa de lei.


A lei em questão, que tem caráter, digamos, conscientizador, é fruto de uma inusitada demanda que emerge como consequência da crise de valores que vivemos. Valores que se aprendem exclusivamente no berço familiar, em casa, na escola e no convívio social.


Infelizmente, a nossa sociedade, marcada pelo individualismo, faz da busca dos privilégios pessoais ou de grupos o motor do subdesenvolvimento social.

Mais análises

14/06/2016
10/05/2016
09/05/2016
21/12/2015
veja mais